quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Teria havido 130 anos atrás uma pandemia de ‘Covid-18’?

Evidências científicas indicam que ‘gripe russa’ do século XIX teve características semelhantes às da atual epidemia de Covid-19

Em 1890, anúncios promoviam inaladores nasais como “remédio” para o excesso de catarro. GETTY IMAGES  

Menos conhecida que a devastadora gripe espanhola, epidemia que matou entre 50 e 100 milhões de pessoas, de 1918 a 1920, a chamada gripe russa (1889-1894) não é menos interessante e, talvez, seja a mais pertinente a ser evocada como referencial no contexto da Covid-19.

Estudos com diferentes enfoques (genéticos, epidemiológicos e clínicos) apontam várias semelhanças entre a histórica pandemia -que eclode com o advento das ferrovias na Europa e na Ásia- e a atual pandemia viral respiratória.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Então é Natal... mas teria Jesus Cristo nascido realmente em 25 de dezembro?

‘Grande conjunção’ de Júpiter com Saturno prevista para hoje reproduz fenômeno que teria ocorrido na noite de nascimento do Messias e reforça tese de que Natal teria sido em outra data

Superposição de imagens mostra aproximação de Júpiter com Saturno até a "grande conjunção" prevista para 21 de dezembro de 2020. FOTO: NASA

O último mês do ano e o ‘marco zero’ da Era Cristã muito provavelmente não condizem com a história de nascimento do Menino Deus. Com base nas escrituras e nas descobertas científicas, historiadores e arqueólogos buscam há décadas conhecer a vida de Jesus do ponto de vista histórico.

Se ainda não se sabe o dia exato em que Ele veio ao mundo, há fortes indícios de que não foi em dezembro e muito menos no ano que precede o convencionado “ano um” da nossa era.

sábado, 19 de dezembro de 2020

GreenToken: projeto inovador visa criar ‘Spotify da energia renovável’

Com aval inédito da Comissão de Valores Mobiliários da França, empresa lança no mercado de ativos digitais europeu oferta pública para aquisição de jetons em prol de transição energética

https://www.thecointribune.com/actualites/ico-de-wpo-comment-acheter-le-greentoken-gtk/

A precursora do projeto é a WPO (Wind Prospect Operations), líder europeia de plataformas independentes em serviços e produtos no setor de energias renováveis.

Em maio deste ano, a empresa obteve aprovação da Autoridade de Mercados Financeiros (AMF) francesa para lançar uma Oferta Pública de jetons GreenToken. Uma iniciativa pioneira no mundo, para uma Oferta Inicial de Moeda (ICO - Initial Coin Offering) operada por uma blockchain na área de energia.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Crise de Covid-19 promove redução recorde de 7% das emissões de CO2 em 2020, indica estudo

Medidas de combate à pandemia impuseram queda drástica da demanda energética, principalmente nos EUA, União Europeia e Índia, nem tanto na China

Cidade de Nova Iorque sob medidas de contenção da Covid-19. FOTO: Mike Segar/Reuters https://www.nytimes.com/2020/04/24/opinion/coronavirus-lockdown.html

A quantidade de gases de efeito estufa liberada na atmosfera este ano pode ser maior apenas do que aquelas registradas em outras crises mundiais, como a de 1945, 1981, 1992 e 2009, quando as emissões não superaram 0,9 bilhão de toneladas de CO2 equivalente (tCO2). Em 2020, elas devem somar 2,4 bilhões de tCO2.

O balanço anual do Global Carbon Project (GCP), divulgado no último dia 11, estima um impacto máximo da crise pandêmica sobre as emissões poluentes, em relação à redução prevista de 2 a 7% até o final do ano, dependendo da duração das quarentenas nos países. No início de abril, a diminuição global média das emissões diárias foi estimada em 17%.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

França: solar fotovoltaico pode abrir caminho para ‘relocalização’ da produção industrial europeia

País da Europa mais atrativo para investimento em energia solar fotovoltaica pode impulsionar fabricação de painéis na região

https://www.solarpowereurope.org/global-market-outlook-2019-2023/

Globalmente, as energias renováveis não foram tão afetadas pela crise pandêmica. Com tarifas atrativas e acesso prioritário à rede elétrica, as instalações fotovoltaicas na França não chegaram a ser penalizadas pela queda do consumo de 15%, registrada no primeiro mês de confinamento.

Nove entre os dez maiores fabricantes de painéis fotovoltaicos do mundo são chineses. A queda vertiginosa dos preços dos equipamentos, reduzidos a 10% do que custavam em 2010, explica o crescimento consistente deste mercado na Europa.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Clima: para limitar aquecimento global, produção mundial de combustíveis fósseis deve cair 60% até 2030, diz ONU

Relatório especial sobre perspectivas de demanda e produção de petróleo, gás e carvão adverte que previsão de alta dos países produtores ameaça meta de elevação da temperatura planetária em 1,5 oC

Central elétrica de carbono em Niederzier-Elsdorf, Nordrhein-Westfalen (Alemanha). FOTO: Sipa Press https://www.lopinion.fr/edition/economie/l-allemagne-fixe-a-2038-l-arret-total-centrales-a-charbon-175918

Por um lado, vários países, entre eles os mais poluidores, anunciam em 2020 compromissos alvissareiros com a neutralidade de carbono, mesmo em um cenário de retomada econômica no pós-pandemia. Por outro lado, no mesmo ano os maiores produtores de combustível fóssil sinalizam com planos de aumento da produção.

No último dia 2, pesquisadores do Programa da ONU para o meio ambiente (UNEP, na sigla em inglês) divulgaram o Production Gap Report (Relatório sobre Lacuna de Produção), em que defendem uma redução da produção global de combustíveis fósseis à razão de 6% ao ano na próxima década, para impedir o aumento da temperatura do planeta além de limites considerados sustentáveis.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Clima: cenário otimista para 2100 pode se concretizar com neutralidade de carbono na China e nos EUA, diz estudo atualizado

Nova projeção, com base em anúncios de países compromissados em zerar emissões, indica possibilidade de limitar elevação de temperatura planetária ao final do século

Adaptado de imagem do relatório Global update: Paris Agreement turning point, do Climate Action Tracker, de dezembro de 2020

Um novo estudo do Climate Action Tracker (CAT), divulgado há poucos dias, considerou em suas projeções promessas recentes para a redução de emissões de um grupo expressivo de países, especialmente dos maiores poluidores do planeta, China e Estados Unidos. Os resultados indicam que o aquecimento global até 2100 pode se limitar a 2,1 oC, uma meta considerada otimista.

A atual modelização feita pelo CAT inclui declarações oficiais de chefes de estado de 127 nações, que se comprometem com metas de “neutralidade de carbono” para as próximas décadas. Juntos, esses países respondem por 63% das emissões planetárias.

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Transição energética: Reino Unido anuncia sua ‘revolução industrial verde’

Plano deve priorizar uso de veículos elétricos, energia eólica e isolamento térmico de residências, visando ‘neutralidade de carbono’ em 2050

Turbina eólica vista do centro de Blyth, no Nordeste da Inglaterra, em 13 de dezembro de 2019. FOTO: Lindsey Parnaby/APF

O governo britânico lançou ontem um programa com diversas medidas em prol de energias renováveis e da eficiência energética em edificações.

Ao anunciar seu plano, a chamada “revolução industrial verde”, o primeiro-ministro Boris Johnson diz que o mesmo poderá gerar até 250 mil empregos, no Norte da Inglaterra e outras regiões industriais de Midlands, Escócia e País de Gales.

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

Clima: emissões brasileiras aumentaram quase 10% em 2019, com PIB 1,1% maior

Impulsionado por queimadas na Amazônia, aumento de gases estufa reflete desmonte de políticas ambientais patrocinado pelo governo federal

Imagem aérea da região de Candeias do Jamari, próxima de Porto Velho (RO), em 24 de agosto de 2019. FOTO: Victor Moriyama/Greenpeace/AFP

Desde 2010, quando a Política Nacional sobre Mudança Climática foi regulamentada, o Brasil elevou suas emissões atmosféricas de gases poluentes em 28,2%. O aumento registrado só em 2019 representa 1/3 do incremento total das emissões em dez anos: 9,6%.

A conclusão é do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG). No ano passado, o país despejou na atmosfera 2,17 bilhões de toneladas de CO2 equivalente (tCO2), ante 1,98 bilhão em 2018.

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Estudo global correlaciona 15% das mortes por COVID-19 à poluição do ar

Cenário de pandemia sob atmosfera poluída explicaria excesso de mortalidade potencialmente evitável, dizem pesquisadores

https://impakter.com/covid-19-link-with-air-pollution-italys-and-chinas-experience/

A ciência comprovou recentemente que a poluição atmosférica é bem mais prejudicial à saúde humana do que se imaginava. “Um flagelo que se soma à pandemia de Covid-19, mais devastador que a malária, a AIDS ou o tabagismo”, como escreveu Nathalie Mayer, jornalista divulgadora de ciência.

Agora, um novo estudo estima que três em cada vinte mortes por Covid-19 no mundo podem estar associadas à exposição prolongada dos pacientes ao ar poluído.

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Destruição da Amazônia: bancos investiram R$ 60 bilhões em frigoríficos desmatadores, entre 2016 e 2020

42% do investimento global em commodities brasileiras foram para produção de carne, uma atividade de alto impacto ambiental

Intervenção de Paula Cardoso sobre fotos de Rogério Cassimiro/Folhapress e Lalo de Almeida/Folhapress https://piaui.folha.uol.com.br/sem-chance-para-o-verde/

O discurso dos detentores do capital financeiro em prol do meio ambiente é o mesmo de sempre: é só para inglês ver! Por um lado, cobram do governo brasileiro medidas contra a destruição dos biomas; por outro lado, seguem investindo bilhões em atividades lucrativas associadas ao desmatamento.

A Forests and Finance (F&F), um consórcio de ONGs ambientais focadas em florestas tropicais, rastreou R$ 990 bilhões investidos entre 2016 e 2020 na produção de carne, óleo de palma, papel e celulose, borracha, madeira e soja em três regiões do mundo.

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Emissões poluentes: 1% dos mais ricos respondem pelo dobro do CO2 emitido por 50% dos mais pobres

De 1990 a 2015, as emissões antrópicas de carbono cresceram 60%; entre 1% das pessoas mais ricas, as emissões aumentaram três vezes mais do que entre metade das mais pobres

13,5 milhões de brasileiros vivem na miséria com renda mensal de até R$ 145 (~ 25 US dólares)
https://observatorio3setor.org.br/noticias/135-milhoes-de-brasileiros-vivem-na-miseria-com-renda-de-ate-r-145/

A riqueza do planeta está cada vez mais concentrada nas mãos de um pequeno número de pessoas. Os mais ricos consomem muito mais bens e serviços à custa de energia fóssil e, portanto, respondem por emissões de carbono bem maiores do que os mais pobres.

A conclusão de um estudo da Oxfam e o Stockholm Environment Institute, divulgado no último dia 21, é que uma pessoa do grupo dos 1% mais ricos emite mais CO2 do que cem pessoas do grupo dos 50% mais pobres do mundo.

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Clima: aquecimento global intensifica liberação de metano do fundo do mar no Hemisfério Sul, diz estudo

Cientistas constatam relação entre emissões de CH4 por dissociação de compostos em leitos oceânicos congelados e o aumento da temperatura atmosférica

Estrutura de um pedaço de hidrato de gás. IMAGEM: Wusel007 https://www.offshore-technology.com/features/featuremethane-hydrates-new-gas-boom/

Um trabalho pioneiro, coordenado pelo geólogo brasileiro Marcelo Ketzer, correlaciona o vazamento de grandes quantidades de metano -de áreas geladas em leitos oceânicos austrais- com o aquecimento climático.

Os resultados do estudo estão no artigo Gas hydrate dissociation linked to contemporary ocean warming in the southern hemisphere, publicado recentemente na Nature Communications, em parceria com pesquisadores brasileiros, franceses e suecos.

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Degelo do ‘permafrost’ pode se tornar irreversível e desastroso para o clima?

Emissões de gases de efeito estufa de áreas descongeladas do Ártico poderiam agravar aquecimento global

Permafrost com grande volume de gelo em colapso. FOTO: A. Balser. Extraído do artigo The irreversible emissions of a permafrost ‘tipping point’, publicado no site carbonbrief.org

O permafrost (pergelissolo em português) é um tipo de solo predominante no Círculo Polar Ártico, que constitui um gigantesco reservatório de carbono e ocupa um quarto da superfície terrestre do Hemisfério Norte.

À medida em que a temperatura do planeta aumenta, cresce o risco de terras do permafrost sofrerem degelo por longos períodos, o que implica na liberação de gás carbônico e metano, gases que contribuem para o aquecimento atmosférico.

sexta-feira, 21 de agosto de 2020

Mudança climática: mundo deve se afastar ainda mais dos compromissos assumidos no Acordo de Paris

Evolução de emissões poluentes já mostrava fracasso dos países em suas ações em prol do clima antes da pandemia de Covid-19

Extraído e adaptado do artigo The hard truths of climate change – by the numbers, de Jeff Tollefson, publicado na Nature em 18.9.2019.

Artigo publicado na Nature há quase um ano destaca a evolução das quantidades de CO2 equivalente liberado pelos países mais emissores de gases que contribuem para o aquecimento planetário.

A matéria, de autoria de Jeff Tollefson, mostra a trajetória das emissões de carbono decorrentes de atividades humanas, de 1900 a 2018, nos países mais poluidores: China, EUA, União Europeia, Índia, Rússia e Japão.

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Transição energética para fontes renováveis pode ser paga com vidas salvas e ganhos de produtividade, diz cientista

Poluição atmosférica causada por combustíveis fósseis é muito mais deletéria do que se imagina

Chaminés emitindo gás poluente à beira da rodovia estadual 95 em Baltimore, Maryland (EUA), em 17.12.2019. FOTO: Andrew Lichtenstein/Corbis via Getty Images

“Uma intensificação nos próximos 20 anos do uso de energias limpas em detrimento de fontes poluentes pode salvar 1,4 milhões de vidas, apenas nos Estados Unidos”.

É o que diz um estudo liderado por Drew Shindell, objeto do artigo Air pollution is much worse than we thought, do especialista em energia e mudança climática David Roberts, publicado ontem no site vox.com.

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Pêndulo de Foucault: experiência que mostrou a rotação da Terra diretamente ao público completa 170 anos

Visível a olho nu, a demonstração de que nosso planeta gira em torno de seu eixo respondeu a uma indagação recorrente desde a Antiguidade

Pêndulo de Foucault em movimento, no Panthéon de Paris

Que a Terra gira em torno do seu eixo polar todos sabemos. Caso contrário, não teríamos a alternância entre dia e noite. Mas como demonstrar a rotação da Terra, sem a observação astronômica inaugurada por Galileu?

Uma pergunta que permaneceu sem resposta até meados do século XIX. Foi a genialidade do físico francês Léon Foucault (1819-1868), que permitiu evidenciar para o grande público o movimento rotacional da Terra.

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Pandemia de Covid-19: quais os cenários mais prováveis para 2021 e além?

Picos anuais podem ocorrer até 2025, se imunidade ao vírus durar menos que um ano


O novo coronavírus veio para ficar por um bom tempo. Vejam as previsões da ciência para os próximos meses e anos.

Diferentes cenários foram modelizados por especialistas de diversos centros de pesquisa do mundo e publicados ontem na Nature, no artigo How the pandemic might play out in 2021 and beyond?

terça-feira, 4 de agosto de 2020

Gigante chinesa vai rastrear soja brasileira para evitar compra de áreas desmatadas ilegalmente

Maior importadora de alimentos da China promete rastrear mais de 50% da produção de grãos adquiridos do Brasil em 2020

Imagem aérea de região Amazônica a 65 km de Porto Velho (RO), em agosto de 2019. Carl de Souza/AFP

A estatal chinesa Cofco Ltd., grupo responsável pelo comércio global da maior empresa de alimentos do país asiático, anunciou a “rastreabilidade total” da soja importada do Brasil até 2023.

A promessa foi incluída em seu último relatório anual de sustentabilidade, publicado no mês passado, e representa uma iniciativa inédita para uma empresa de grande porte do agronegócio internacional.

sexta-feira, 31 de julho de 2020

Queimadas na Amazônia e Covid-19: ‘pico de incêndios pode impulsionar número de casos’, alerta pesquisador do Inpe

Para o especialista em ecossistemas tropicais Luiz Aragão, aceleração de queimadas pode recrudescer pandemia na região e inibir retomada econômica do Brasil

Mapa de calor das ocorrências de desmatamento no período PRODES 2019 nos Estados que compõem a Amazônia Legal Brasileira (Fonte: Inpe)

Em sua participação no debate Fraturas Ambientais – Consequências para o futuro pós COVID-19, promovido ontem pelo Canal Instituto Oswaldo Cruz, o doutor em sensoriamento remoto Luiz Aragão adverte sobre o impacto negativo da instabilidade ambiental na Amazônia na produção agrícola nacional e no avanço da pandemia de coronavírus.

O pesquisador do Inpe expõe as implicações sociais que estão fortemente associadas ao processo de desmatamento e sua inevitável ocorrência nos próximos meses, caso não sejam adotadas medidas de prevenção efetivas para conter o desmatamento e as queimadas ilegais.

domingo, 26 de julho de 2020

Energias renováveis não avançam com ‘great reset’, diz especialista

Para a analista americana Gail Tverberg, desenvolvimento de energia verde no pós-pandemia torna-se impeditivo no contexto de petróleo barato


“Uma redefinição da economia não é como a de um computador, que você reseta e a maioria dos problemas são corrigidos”, argumenta Tverberg em artigo recente, intitulado Wy a Great Reset Based on Green Energy Isn’t Possible, publicado no último dia 20 no site energycentral.com.

especialista em negócios na área de energia faz uma análise detalhada da questão energética no âmbito do plano “grande reinicialização” da economia global, proposto pelo Fórum Econômico Mundial.

sexta-feira, 24 de julho de 2020

'The Great Reset': rumo a um mundo pós-pandemia mais verde, mais racional e mais justo?

Mentores da proposta são o FED, FMI e Banco Central Europeu, com apoio da Fundação Bill e Melinda Gates e Família Real Britânica, entre outros

A pandemia de coronavírus e a interdependência dos desafios sanitários, ambientais, econômicos e sociais estão no cerne dos objetivos de desenvolvimento sustentável proposto pelo Fórum Econômico Mundial. @BH com @dianakuehn30010

Uma redefinição do capitalismo e um novo contrato social é o que pretende o plano lançado pelos gigantes da economia global para o pós-crise de Covid-19.

A “grande reinicialização”, sintetizada no artigo Now is the time for a ‘great reset’ de Klaus Schwab, fundador e presidente executivo do Fórum Econômico Mundial, é uma proposta para enfrentar o impacto econômico de longo prazo causado pela pandemia, que “deve exacerbar as crises social e climática que já estavam em curso”.

sábado, 11 de julho de 2020

Índia sediará pela primeira vez congresso mundial de energia solar

O evento, programado para o final de 2021, é organizado pela prestigiosa Sociedade Internacional de Energia Solar (ISES)


Nova Deli será palco da próxima edição do principal congresso da ISES, uma organização internacional dedicada à comunicação e ao intercâmbio entre a comunidade científica, industriais e atores políticos, em prol da energia solar.

Com uma população pouco menor que a da China, não por acaso a Índia vai sediar o próximo Solar World Congress (SWC). O governo indiano anunciou no ano passado pesados investimentos em fontes renováveis, visando adicionar à sua capacidade instada 500 GW de energia limpa até 2030.

quinta-feira, 25 de junho de 2020

Máquina de Gelo Solar (vídeo)

Entre 2002 e 2006, no Laboratório de Energia Solar da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, foi desenvolvido o projeto –pioneiro na América Latina– de um refrigerador solar para fabricação de gelo, com capacidade de até 10 kg por m2/dia.

Esquema de funcionamento do refrigerador solar: durante a noite (a), um fluido é evaporado (transferido do evaporador ao adsorvedor), produzindo o efeito frigorífico; durante o dia (b), os raios solares incidem no coletor/adsorvedor, regenerando o adsorvente (o fluido é transferido ao condensador, onde se liquefaz).

A máquina utiliza somente energia solar e opera em um “ciclo de refrigeração por adsorção”, de modo intermitente: durante a noite ocorre a produção de frio; durante o dia, o calor do sol regenera o adsorvente confinado em um coletor solar especial, completando o ciclo (figura).

quinta-feira, 11 de junho de 2020

Covid-19: pelo menos 135 vacinas estão em desenvolvimento no mundo, 10 em fase de testes em humanos

Vacina em estágio mais avançado está no Reino Unido, em fase de testes com grupos de centenas a milhares de pessoas

Adaptado da Revista Pesquisa FAPESP, em https://bit.ly/3faOr3S

Cientistas de várias partes do mundo estão em uma frenética corrida contra o tempo, para obter uma vacina eficaz e segura contra o novo coronavírus.

Já são mais de 135 vacinas em diferentes fases de desenvolvimento, sendo dez delas testadas em humanos: cinco na China, quatro nos estados Unidos e uma no Reino Unido. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS), atualizados até 9 de junho.

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Racismo e violência policial nos EUA: cientistas negros planejam greve como forma de protesto

Movimento visa contribuir ao debate aberto na sociedade americana, a partir do assassinato de George Floyd


Endossando as manifestações antirracismo que eclodiram nos Estados Unidos e no mundo, cientistas americanos afrodescendentes devem fazer greve hoje, 10 de junho.

Os organizadores do movimento lançaram a hashtag #BlackintheIvory para denunciar ao mundo o preconceito que sofrem nos meios universitários dos EUA, em razão de sua identidade.

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Desmatamento no Brasil em 2019 representa mais de 1/3 da perda de florestas tropicais do mundo, diz estudo

Área verde de biomas primários suprimida do planeta é quase do tamanho da Suíça e 3% maior que em 2018


A perda total de florestas tropicais mundo afora em 2019 foi de quase 38 mil km2 (194 x 194 km). Foi a terceira maior área de mata destruída desde 2002, superada apenas pela devastação por incêndios em 2016 e 2017, especialmente no Brasil.

Os dados foram publicados pelo Instituto de Recursos Mundiais (World Resources Institute - WRI), através do programa Vigilância Global de Florestas (Global Forest Watch - GFW).

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Mudança climática: partes da Antártida estão se tornando verdes, dizem cientistas

Sensoriamento remoto revela emersão de algas no continente austral causada pelo aquecimento atmosférico


Algas que florescem na superfície de neve derretida podem dar origem a um novo ecossistema, potencialmente importante como sumidouro de carbono.

A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Cambridge (Reino Unido), publicado hoje na Nature CommunicationsTrata-se da primeira estimativa da biomassa e da distribuição da comunidade de “algas verdes da neve” ao longo da Península Antártica.

terça-feira, 19 de maio de 2020

Clima e pandemia de Covid-19: emissões globais de CO2 caíram 17% no auge do isolamento social

Redução no Brasil chegou a 25%, na China 24%, na Índia 26%, na Europa 27%, nos Estados Unidos 32%

Londres durante isolamento social em plena pandemia de Covid-19

No início de abril, no pico do isolamento social nos países avaliados, a redução global das emissões diárias de CO2 foi de 17% em relação à média de 2019, equiparando-se à taxa de emissão diária observada em 2006.

É o que diz o estudo publicado hoje na Nature Climate Change, coordenado pela Universidade de East Anglia, Inglaterra, com a participação de centros de pesquisa da França, Alemanha, Holanda, Noruega, Austrália e Estados Unidos.

sábado, 16 de maio de 2020

Naomi Klein: ‘devemos não só refutar a austeridade no pós-pandemia, como também construir um modelo diferente’

Cenário que sucedeu crise financeira de 2008 tende a se repetir, com as classes médias pagando a fatura, adverte a jornalista e escritora

IMAGEM: Yann Legendre/Le Monde

Em recente entrevista ao HuffPost da Itália, a ensaísta e ativista social canadense Naomi Klein expôs sua visão do mundo que advirá no rastro da pandemia de Covid-19.

Para Klein, o não abandono do Green Deal, um plano econômico de fomento às energias renováveis para tornar a Europa neutra em carbono até 2050, vai depender da mobilização social, para evitar que governos e multinacionais usem a pandemia como pretexto para nada mudar.

domingo, 10 de maio de 2020

Hidroxicloroquina: primeiro estudo amplo não apoia uso sistemático em pacientes de Covid-19

Entre os quase 1.400 pacientes avaliados, melhora daqueles que receberam a droga foi a mesma dos que não receberam


A hidroxicloroquina (HCQ) tem sido usualmente administrada em pacientes de Covid-19, mas sem maiores evidências de sua eficácia. Pesquisas de laboratório sugerem que ela pode impedir a replicação do vírus SARS-CoV-2 em mamíferos.

Dados clínicos de pequenos grupos de pacientes não tem possibilitado uma interpretação adequada. Um estudo publicado no último dia 7 no The New England Journal of Medicine, inédito quanto ao grande número de pacientes envolvidos, não corrobora o efeito curativo da HCQ para Covid-19.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Clima: qual será a temperatura da Terra no final do século?

Cientistas estudam novos cenários de aquecimento climático, considerando diferentes políticas econômicas


O verão europeu de 2019 registrou uma temperatura média recorde, com fortes ondas de calor e chuvas torrenciais que afetaram meio bilhão de habitantes.

Meses depois, a humanidade enfrenta a maior crise sanitária dos últimos 100 anos, com drástica redução da atividade econômica e, portanto, das emissões antrópicas de CO2 que contribuem para o aquecimento atmosférico.

quinta-feira, 16 de abril de 2020

Clima: emissões antrópicas de metano podem ser até 40% maiores do que se estima, dizem cientistas americanos

Resultado do estudo amplia possibilidades de limitar aquecimento climático pela redução de atividades que liberam CH4

Atividade pecuária e lixões são fortes emissores de metano; criação de gado responde por 30% das emissões, causadas pela digestão dos ruminantes e a fermentação de seus excrementos. (IMAGENS: Jennifer C./Flickr, CEA)

Menos midiático que o CO2, o metano (CH4) é um gás bem mais potente em termos de efeito estufa. Em escala secular, seu poder de aquecimento global é quase 30 vezes maior que o do CO2.

Responsável por 1/3 do efeito estufa, o CH4 é emitido tanto de forma natural, quanto por atividades humanas, sendo difícil quantificar cada uma dessas contribuições.

Agora, um estudo da Universidade de Rochester (EUA) mostra que a concentração atmosférica desse gás, oriunda de combustíveis fósseis, pecuária, etc é bem maior do que estudos anteriores indicavam.

segunda-feira, 13 de abril de 2020

Pandemia de Covid-19: esforço global indica que vacina pode estar disponível até início de 2021

Desenvolvimento de vacina para conter novo coronavírus avança com rapidez inédita em vários centros de pesquisa do mundo

https://www.google.com/amp/s/theconversation.com/amp/developpement-dun-vaccin-contre-le-coronavirus-voici-ce-que-font-les-scientifiques-131358

Enquanto o mundo caminha para a marca de 2 milhões de casos da doença e 120 mil mortes, 78 projetos de P&D avançam em ritmo acelerado para obter uma vacina contra a Covid-19.

O panorama da corrida global contra o tempo em busca da vacina é tema do artigo The COVID-19 vaccine development landscape, publicado no último dia 9 na Nature e assinado por sete pesquisadores do Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI) de Oslo, Noruega.

sábado, 11 de abril de 2020

Pandemia de Covid-19: quais as consequências para o clima?

Redução de emissões de gases estufa durante isolamento social não necessariamente aponta para um mundo mais verde pós-crise sanitária

Imagens do satélite Sentinel-5P mostram as concentrações de um dos gases atmosféricos de efeito estufa (o dióxido de nitrogênio, NO2), sobre a França e parte da Alemanha, em março de 2019 e entre 14 e 25 de março de 2020, durante o isolamento social. IMAGENS: Agência Espacial Europeia (ESA)/AFP

Os efeitos da pandemia de Covid-19, ou, mais precisamente, do isolamento social adotado mundo afora para combatê-la, sobre as emissões atmosféricas poluentes parecem indiscutíveis.

A NASA tem constatado o fenômeno na China, desde o mês de fevereiro. Medidas de confinamento humano adotadas em outros países da Ásia, principalmente na Índia, Europa, América e África levaram a uma desaceleração da economia mundial.

segunda-feira, 6 de abril de 2020

Noam Chomsky: 'Os Estados Unidos construíram uma distopia global'

Para o linguista, historiador, filósofo e professor, um amálgama de modelos totalitários e distópicos emerge no mundo

Noam Chomsky, palestrando no International Forum for Emancipation and Equality, em Buenos Aires, em 2015. (FOTO: Augusto Starita/Ministerio de Cultura de la Nación)

Em entrevista recente ao jornalista Robert Scheer, editor-chefe do portal Truthdig, Noam Chomsky expõe sua visão sobre o futuro da humanidade, que segundo ele já estaria sob um sistema global de tecno-vigilância.

Confrontado às obras ficcionais de Huxley e Orwell, ele explica por que já vivemos num mundo distópico, onde tecnologias de informação são usadas para controlar a sociedade.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Meio ambiente e câncer: mineradora quer retomar processamento de amianto no Brasil à revelia do STF

Manuseio do cancerígeno banido pela OMS é de interesse da Eternit e tem aval de lei estadual aprovada pelo governo do DEM

Trabalhador de um canteiro de obras de demolição de um navio, contendo diversos materiais à base de amianto, em Chittagong (Bangladesh)

O Brasil parece um trem fora dos trilhos. Avança desgovernado, em nível federal e estadual, na contramão de princípios civilizatórios básicos, de respeito ao ser humano e ao meio ambiente.

Não bastasse a liberação de 28 agrotóxicos barrados na União Europeia, 36 na Austrália, 30 na Índia e 18 no Canadá... não é que o manuseio do amianto, de alta letalidade, pode voltar?

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

França desenvolve projetos de parques eólicos offshore com impacto limitado sobre ecossistemas

Experiência europeia com energia eólica no mar propicia projetos ambientalmente amigáveis

Parque eólico de Walney Extension (Reino Unido): o maior do mundo em operação, com potência de 659 MW, gerada por 80 turbinas distribuídas em 145 km2. FOTO: Reuters

Paradoxalmente, o atraso da França na exploração marítima da energia dos ventos pode beneficiar o país com a experiência de seus vizinhos, como Reino Unido, Alemanha e Dinamarca, na implementação de projetos com impacto ambiental mínimo.

Para atingir sua meta em relação à transição energética, que é dispor de uma matriz elétrica com 40% de fontes renováveis até 2030, a França precisa dobrar sua capacidade eólica instalada na próxima década.

domingo, 9 de fevereiro de 2020

EUA: potência eólica instalada supera os 100 GW

Resultado foi obtido no terceiro trimestre de 2019, com quase 2 GW de capacidade adicional em operação no período

Parque eólico em Papalote Creek, no Texas. FOTO: Bob Owen, Staff / San Antonio Express-News

De vento em popa vai a energia eólica nos Estados Unidos. Às vésperas da divulgação de dados sobre a capacidade instalada em 2019, sabe-se que serão números auspiciosos.

Até o final de setembro do ano passado, o país registrava um recorde de instalações em construção (mais de 46,5 GW), com metade dessa potência em estágio avançado e quase 6 GW em projetos eólicos offshore.

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Mundo da ciência: China supera Estados Unidos em publicações

Número de artigos chineses em ciência e engenharia supera em 25% o de norte-americanos em 2018

Países que lideraram as publicações científicas mundiais em 2018, em revistas com corpo editorial. Fonte: National Science Foundation
https://bit.ly/2Ge6SFm

Em 2018, foram mais de 2,5 milhões de artigos científicos publicados mundo afora, em journals com corpo editorial, em ciência e engenharia. Um avanço de mais de 45% em relação a 2008.

Enquanto em 2008 os Estados Unidos publicaram 394.979 artigos, ante 240.049 da China, em 2018 os chineses emplacaram 528.263 publicações, contra 422.808 dos norte-americanos.